Últimas Notícias

Por Antonio Fernando

Deputado Estadual

 A Crise do Coronavírus, com todas as suas mazelas, está fazendo despertar uma verdade há muito evidente para cada brasileiro com um grau razoável de escolaridade, conhecimento e consciência: o Brasil   precisa urgentemente  direcionar os investimentos necessários para o desenvolvimento da ciência, da pesquisa e da tecnologia nas universidades do País. Isso já está provado há bastante tempo: em todos os cantos do mundo, as nações  só conseguiram alcançar avanços socioeconômicos com investimentos maciços em educação superior, fortes financiamentos das pesquisas, e apoio aos pesquisadores.

O Índice Global de Inovação (IGI) , publicado anualmente, destaca os 20 países do Mundo mais avançados tecnologicamente. São eles: 1-Suíça; 2-Suécia; 3-Estados Unidos; 4 -.Países Baixos; 5-.Reino Unido; 6  – Finlândia; 7 - Dinamarca ; 8 - Singapura; 9 - Alemanha; 10 - Israel ; 11 -  Coreia do Sul ; 12    Irlanda; 13 - Hong Kong ;14 - China ;15.- Japão ; 16 - França ;17.- Canadá ;18 - Luxemburgo ;19 - Noruega ;20.-  Islândia. O Brasil, apesar de figurar entre as 10 (Dez) maiores economias do Mundo, ocupa  66ª posição entre 129 países analisados pelo IGI. Um desempenho modesto e em queda, já que o nosso País perdeu duas posições, passando da 64ª posição em 2018 para a 66ª colocação  em 2019, o último Índice Global de Inovação (IGI) divulgado.

A chegada da pandemia da COVID-19 ao Brasil trouxe um choque de realidade, evidenciando nossas carências de investimento em ciência, tecnologia e pesquisa. Alguns exemplos muito simples tornam patente a carência de atenção às ciências no País. Um exemplo: testes laboratoriais para detectar o Novo Coronavírus, que poderiam ser produzidos, aqui mesmo no Brasil, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ao custo de R$ 1,00 estão sendo importados com valores que atingem até R$ 300,00. Outro caso são os respiradores mecânicos, equipamentos médicos relativamente simples que são fabricados  no País, mas dependem diretamente de peças importadas da China e outros países. Ou seja: perdemos economicamente quando não temos tecnologia própria ou ficamos dependentes de outras nações para consolidar a industrialização dos nossos produtos e equipamentos.

Em conversa recente com a Dra. Helen Jamil Khoury Asfora, Professora Titular do Departamento de Energia Nuclear da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, a professora nos disse se mostrar surpresa com certo grau de carência tecnológica no Brasil. Depois de um rápido levantamento, a professora descobriu  a ausência de produção nacional de lâmpadas de Radiação Ultravioleta (UV)  eficientes como arma para desinfecção e esterilização de superfícies contaminadas pela COVID-19. “Que País é este que não produz um produto tão simples como este, uma coisa  simples como uma lâmpada?”, lamentou a renomada Dra. Helen Khoury.

Mais preocupante ainda é quando detectamos que, além de estarmos aquém do que deveríamos nos investimentos nacionais em ciência e tecnologia,  estamos retrocedendo um pouco mais a cada dia. Não foi com menor surpresa quando tomamos conhecimento, através da imprensa, de que, por decisão do final de março deste ano,  os novos critérios estabelecidos pela CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Órgão do Ministério da Educação - MEC), para a distribuição de bolsas de pós-graduação no Brasil, na prática vão cortar benefícios mesmo de universidades e cursos considerados de excelência no País.  "É uma tristeza. Enquanto o Coronavírus está matando pessoas, o Governo Federal pode estar matando a ciência brasileira”, lamentaram, com justiça, pesquisadores brasileiros nas reportagens publicadas.

Todos que me conhecem – colegas parlamentares, professores, profissionais de vários segmentos – sabem da estima que guardo no tocante à educação, à ciência e ao fortalecimento da pesquisa no Brasil. Sinto-me a prova viva de que a educação é a via mais segura para o crescimento das pessoas e de uma nação. Originário de uma região sertaneja – o Sertão do Araripe -, muito jovem me transferi para a Capital, onde residi em Casa de Estudante e  complementei meus estudos secundários em escola pública (O Ginásio Pernambucano, no Recife). Alcancei a Universidade, no curso de Engenharia Elétrica da UFPE. Em seguida, mais um passo: mestrado em Engenharia Nuclear, também na UFPE. Ao longo da vida, fiz ainda cursos de Administração e Direito.

Diante de tudo isso, conheço e defendo (e sempre defenderei!), com todo o meu vigor enquanto parlamentar, todas as formas de fortalecimento da educação (especialmente a educação pública e gratuita); o investimento nas ciências e nas pesquisas; a valorização dos nossos educadores, pesquisadores e cientistas; bem como a estruturação e manutenção da Universidade Pública em Pernambuco e no Brasil. Neste momento de Crise do Coronavírus, estamos diante de questões nas quais o desenvolvimento científico se mostra fundamental para o real avanço tecnológico e socioeconômico do País. E nossa nação precisa urgentemente despertar para o valor inestimável da ciência, da pesquisa, do conhecimento e da educação em geral para a construção de um Brasil mais forte e sintonizado com os desafios do Século 21.


O programa Parceria pela Valorização da Educação (PVE), idealizado pelo Instituto Votorantim, que conta com o apoio da Votorantim Energia, está focado na manutenção da rotina de aprendizagem, fortalecendo o vínculo escola e família, durante este período de isolamento social. O programa, que atua por 76 cidades do país em 2020, iniciou parceria com o Canal Futura para desenvolver o Projeto Telas Abertas, que compartilha conteúdo didático e preventivo, sobre a pandemia do coronavírus, via Facebook e Whatsapp para as famílias que participam do PVE.


Com grande envolvimento dos gestores de educação, o PVE, que é uma importante ferramenta de apoio à gestão pública educacional, envia vídeos com foco em cuidado e proteção das crianças (direito da criança e higiene), família (finanças, receitas e reorganização familiar) e dicas de atividades (teatro, música e vídeos). Os conteúdos são disponibilizados toda segunda, quarta e sexta-feira. Além disso, são realizadas Lives (transmissões ao vivo) no canal do Facebook (https://www.facebook.com/groups/PVEnacional/) com temas diversos, que oferecem oportunidade de atividades em família.


“Reorganizamos o PVE este ano para minimizar os impactos de aprendizagem dos alunos relacionados à suspensão das aulas presenciais e readequar o ano letivo. Temos realizado outras ações com foco nos gestores educacionais e professores municipais, como videoconferências. Até o final do ano, nossos objetivos serão voltados para ajudar as secretarias das cidades para que a volta às aulas seja tranquila e possibilite ampla recuperação da aprendizagem”, explica Anna Carolina Bruschetta, Coordenadora do PVE.


Segundo Ronael Carvalho, membro do grupo de jovens mobilizadores do PVE da cidade de Simôes (PI), eles têm realizado diversos trabalhos no município, com destaque para a Revitalização da Biblioteca Pública Municipal. “Temos buscado, através de grupos de Whatsapp, apresentar o nosso dia a dia enquanto jovens mobilizadores. Com isso, pudemos conhecer as realidades e, ao mesmo tempo, buscar soluções, visando continuar um trabalho em favor da educação municipal”, conta.


Ele afirma que o grupo está engajado e diariamente compartilha suas vivências com todos. ”A nossa região árida proporciona muitos desafios. Neste tempo em que a pandemia bate à nossa porta, é o momento que devemos intensificar nossos trabalhos através doa meios sociais, com o que temos à disposição. O PVE tem uma força significativa na educação brasileira e a nossa atuação jovem precisa levar este trabalho importante adiante, já que é para o bem-estar dos envolvidos. Nós somos capazes e o PVE pôde nos mostrar isso”, finaliza.


Para o gerente do Complexo Eólico Ventos do Piauí, Pedro Júnior, as pessoas precisam de muito apoio neste momento de pandemia. “O PVE chega com informações para as famílias e isso traz esperança e faz com que todos ocupem o tempo de maneira positiva. Ter os jovens envolvidos neste projeto educativo é ainda mais importante para as comunidades que precisam manter o interesse pela educação”, afirma.

Com articulação do prefeito Dr Everton Costa, a Guarda Municipal de Trindade recebeu hoje na capital pernambucana, 04 veículos 0km, por meio de emendas de bancadas de líderes políticos pernambucanos; sendo dois do deputado Federal Wolney Queiroz, um do deputado Kaio Maniçoba e um do senador Armando Monteiro.

 Os transportes foram apresentados à população no dia 19/05, pelo ministro da Justiça, André Luiz de Almeida Mendonça, por meio de uma live.

 “Quero em nome da população trindadense e, em especial a Guarda Municipal de Trindade, agradecer a todas essas lideranças do nosso Estado. Tenho certeza que os profissionais da GMT farão bom uso, para garantir mais segurança a nossa cidade. Agradeço ainda ao Tenente Renato e Helena do SENASP que não mediram esforços para realização desse pleito”, frisou o prefeito Dr Everton Costa. Os  novos veículos chegam na sexta-feira (22)  .

 

ASCOM



A Prefeitura de Bodocó, através da Secretaria de Saúde implantou barreiras sanitárias fixas nas principais entradas da cidade nesta quinta-feira (21).

A ação integra as medidas de segurança e de enfrentamento à pandemia da Covid-19, onde estão sendo realizadas:

▪︎ Identificação do fluxo de visitantes e sua origem;

▪︎Orientações sobre o combate à COVID-19;

▪︎ Monitoramento do uso de máscaras;

▪︎ Avaliação clínica de condutores e passageiros;

▪︎ Referenciamento de casos suspeitos ou com algum agravante;

▪︎ Direcionamento das pessoas recém chegadas ao município para acompanhamento da Equipe Sentinela;

▪︎ Restrição de acesso ao município para os visitantes que não se adequam nas orientações relacionadas das leis vigentes.

O período de atuação desta fase seguirá até o próximo dia 05, podendo ser prorrogada. A ação é executada pela Vigilância em Saúde e conta com o apoio de servidores de demais secretarias municipais.

CASOS – De acordo com a atualização do último Boletim Epidemiológico, o município registra o total de 15 casos notificados da seguinte forma: 06 casos confirmados (nos quais 05 foram recuperados); 05 em investigação e 04 descartados.



O município de Trindade, no Sertão de Pernambuco, registrou mais três casos positivos para o novo coronavírus nesta quarta-feira (20). Agora, a cidade chega a 38 casos confirmados de Covid-19, 23 em investigação, 179 casos descartados, 16 curas clínicas e quatro óbitos.

A prefeitura informou no boletim divulgado nesta quarta, que está realizando testes nos profissionais de saúde que estão na linha de frente das ações contra o coronavírus. Foram realizados 95 testes nos profissionais, sendo que 90 deram negativo e cinco testaram positivo. Os que tiveram confirmação da doença estão em isolamento domiciliar.

No boletim, a prefeitura reforçou o pedido para que a população permaneça em casa. Além disso, orientou que os pacientes que apresentarem sintomas gripais ou dores pulmonares procurem as unidades de saúde do município.

 O estado de Pernambuco confirmou 22.560 casos da doença e 1.834 mortes, de acordo com o mais recente boletim divulgado nesta quarta.


 Por G1 Petrolina


Durante reunião virtual (teleconferência via internet), realizada na noite desta terça-feira (19.05.2020), empresários ligados à Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, de Ouricuri, apresentaram ao deputado Estadual Antonio Fernando (PSC) uma série de ideias voltadas para a elaboração de um Plano de Reabertura Gradual do Comércio da segunda maior cidade e principal polo comercial do Sertão do Araripe.  O comércio de Ouricuri está parado há quase 60 dias, desde a implementação das medidas de enfrentamento à Pandemia do Coronavírus em Pernambuco.

“Nós estamos estudando medidas que possibilitem a reabertura das lojas de forma sustentável. Ou seja: a volta das atividades do comércio com respeito a todas as medidas de segurança na área de saúde que evitem as contaminações pela COVID-19”, explicou o presidente da CDL de Ouricuri, Edilson Batista. “Neste momento, ninguém está interessado em lucrar. Nós, comerciantes, queremos apenas sobreviver aos efeitos econômicos da pandemia do Novo Coronavírus,  que afeta nossa cidade e região do Araripe, assim como Pernambuco, o Brasil e o Mundo inteiro”, disse Edilson Batista.

Mais de 15 comerciantes – de grande, médio e pequeno portes - de Ouricuri participaram da reunião virtual.  Os empresários da cidade pediram a reunião para solicitar o apoio do Deputado Antonio Fernando na construção e implementação de medidas necessárias para que o Plano de Reabertura Gradual do Comércio seja, de fato, efetivado. “Nós queremos que o deputado Antonio Fernando nos ajude nesta luta em defesa da sobrevivência do comércio, que gera emprego e renda para tantas famílias de Ouricuri. Estamos concluindo a nossa proposta de reabertura gradual das lojas e vamos apresentar o plano no Executivo e Legislativo Municipal. Também vamos levar a questão ao Governo do Estado e Antonio Fernando pode nos orientar e ajudar, da melhor maneira possível, na Assembleia Legislativa e junto ao Governo de Pernambuco”, afirmou o empresário de Ouricuri Assis Jr., vice-presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Pernambuco.

Antonio Fernando ouviu as propostas dos empresários e fez algumas considerações. “Em primeiro lugar, acredito que nada pode ser feito sem que haja uma intensificação nas testagens do Coronavírus. Só com a realização de testes em maior volume teremos uma dimensão real do avanço da doença no Araripe, com dados concretos, que nos assegurem que a reabertura do comércio não venha a contribuir para o avanço da pandemia na Região do Araripe. Não há dúvidas de que a economia é muito importante. Mas o mais importante de tudo é proteger e salvar as vidas de nossa população”, ponderou o deputado Antonio Fernando.

Outra observação feita aos empresários por Antonio Fernando, durante a reunião virtual, foi a necessidade de dar uma dimensão regional para o Plano. “Em minha opinião, este não deve ser um pleito apenas de Ouricuri, ou seja, de apenas uma cidade. Acredito que este Plano de Reabertura Gradual do Comércio deve ser um pleito regional, envolvendo, se possível, todos os 11 municípios do Sertão do Araripe, através do Cisape – Consórcio Intermunicipal do Sertão do Araripe”, sugeriu o deputado. “Com vários municípios envolvidos, seria possível ter mais força e mesmo se construir um planejamento mais racional, que possa buscar uma solução para a questão da economia sem esquecer a segurança à saúde, evitando possíveis contaminações pelo Coronavírus na circulação natural das pessoas entre os municípios do Sertão do Araripe.”, concluiu o deputado  Antonio Fernando.


Assessoria de Comunicação

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget